Jornal da Band Humilhação aos garis

Um homem para duas mulheres

Duas mulheres chinesas descobriram, graças a uma rede social em mandarim similar ao Facebook, que tinham o mesmo marido, um chinês com passaporte mexicano. O homem foi preso em conseqüência do fato, informou o jornal oficial China Daily.

O homem, conhecido como Chang, foi preso na província chinesa de Zhejiang depois que as suas mulheres descobriram que dividiam o marido quase por casualidade, ao acrescentarem-se como amigas em uma rede social chamada Kaixin (uma das muitas versões chinesas do popular Facebook, censurado no país).

As duas mulheres iniciaram a amizade pelo site ao descobrirem que tinham uma pessoa em comum nas suas listas de contatos, o próprio Chang. E, ao se trocarem as fotos de casamento, descobriram que dividiam também algo mais.

Chang se casou em 2005 com uma delas, chamada de Li, na província de Zhejiang, e mais tarde se casou no México, país que visita com freqüência devido a seus negócios, com uma mulher de Pequim chamada de Wang, que estava grávida na época. O bígamo manteve os dois casamentos em lugares diferentes com a desculpa que teria que se ausentar durante longas temporadas para cuidar dos seus negócios, e continuou sua prática quando a mulher de Pequim voltou para a capital chinesa.

Chang era portador de dois passaportes, um chinês e outro mexicano (obtido em 2002), um caso muito raro na China, país que não reconhece a dupla nacionalidade com nenhum país. Aparentemente, o empresário obteve este benefício ao declarar que o passaporte mexicano facilitaria os freqüentes deslocamentos para o México.

A China proibiu nos primeiros anos do regime comunista o concumbinato e a poligamia, práticas muito comuns na sociedade tradicional daquela época, especialmente entre a nobreza e as famílias ricas.

Rádio paga mico em morte de Lombardi

Você conhece a Wikipedia, não? É uma enciclopédia virtual, feita com colaboração dos leitores e é uma boa fonte de referência para pesquisa nos mais diversos assuntos. Existe também a Desciclopédia, que é uma paródia da Wikipedia e é um site de humor que só dá explicações engraçadas a respeito das coisas sobre o que a Wikipedia fala sério.

Resumindo, então: a Wikipedia é séria e a Desciclopédia não. Entendeu?

O problema é que os dois sites são bem parecidos e isso pode causar um pouco de confusão em quem não está habituado.  Provavelmente foi isso que aconteceu com um repórter da rádio Nova Gravatá (PE) , que foi ao ar para trazer informações sobre a morte do locutor Lombardi e fez a pesquisa de informações na Desciclopédia.

O locutor chegou a perceber a gafe e errou o nome do site, dizendo Descipédia ao invés de Desciclopédia.

Ouça a gafe, gravada, logo abaixo.