As mais estranhas superstições de Ano Novo

Getty Images

Se durante o primeiro dia do ano uma joaninha pousar em você, você é um cara de sorte

As pessoas inventam todo o tipo de coisa para ter sorte no Ano-Novo. Algumas superstições até têm fundamento – como por exemplo a da joaninha dar sorte: ela se alimenta de insetos que são pragas em plantações e isso é uma coisa que vem de nossos ancentrais agricultores. Porém, algumas simplesmente não têm explicações.

Leia abaixo uma lista com algumas das superstições de Ano Novo mais e dê sua sugestão:

– Não mate joaninhas.
Os antigos acreditavam que a joaninha era sinal de boa colheita e, portanto, de boa sorte

– Use maquiagem nos olhos.
Antigos egípcios acreditavam que maquiagem evitava que espíritos maus entrassem pelos olhos

– Faça dedinhos do metal.
A mão fechada com apenas o mindinho e fura bolo levantados pode ser uma saudação popular entre os rockers, mas, para os italianos, a “mano cornuta” servia para afugentar maus espíritos

– Cuidado com carnes.
Frango não pode, porque a galinha cisca movendo as patas para trás, indicando retrocesso. Porco, por outro lado, é bom, porque porco fuça movendo o focinho para frente, indicando progresso.

– Use roupas novas e vermelhas.
Muitas pessoas acham que usar roupas novas no Ano-Novo é como se apresentar como uma folha em branco. Por isso, muita gente usa roupa nova e branca. Porém, há quem acredite que o vermelho é uma cor que atrai felicidade e boa sorte.

– Nasça.
Bebês que nascem no primeiro dia do ano têm sorte por toda a vida

– Atenção às borboletas
Se a primeira borboleta que você observar, em pleno voo, em um Ano-Novo for da cor branca, isso quer dizer que vai ser um ano próspero.

– Não chore
Nossos ancestrais acreditavam que chorar durante o Ano Novo é sinal de mau agouro.

– Abra portas
As portas da sua devem ficar todas abertas, para que o ano velho possa ir embora. Isso não é recomendado caso você vá viajar. Daí, é melhor trancar todas as portas de sua casa.

– Beije a pessoa amada
Os antigos acreditavam que beijar a pessoa amada na virada do ano traz boa sorte no resto dele.

– Dance em volta de uma árvore
Acredita-se que dançar em torno de uma árvore, ao ar livre, durante a virada do ano traz sorte e prosperidade

– Não lave louça
Pessoas acreditam que lavar louças ou mesmo lavar o cabelo no primeiro dia do ano pode significar morte de um ente querido

– Pague suas dívidas

Não leve contas para o Ano Novo. Tanto porque é um assunto inacabado quanto pela taxa dos juros, que é aviltante.

– Que tudo esteja cheio
Deixe a carteira cheia de dinheiro. Mantenha geladeira com bastante comida e a despensa repleta de alimentos durante o primeiro dia do ano. Isso atrai fartura.

– Aceite visitas
Acredita-se que você não deve sair de casa antes de receber sua primeira visita no ano. E essa visita tem que trazer algum presente.

– Atenção à direção do vento
Se o vento estiver vindo do leste, isso pode significar que há catástrofe a caminho. Se o vento estiver vindo do oeste, significa sorte e, talvez, morte de alguém importante. Se o vento estiver vindo do sul, quer dizer que o ano vai ser próspero e, se o vento vier do norte, significa que vai chover.

– Encha o bucho de uvas
A tradição espanhola diz que quanto mais uvas você conseguir comer na virada do ano, mais sorte você vai ter.

– Reúna amigos do passado
No Réveillon 2010 na praia de Copacabana, Lulu Santos, Léo Jaime, Blitz e Paralamas do Sucesso vão tocar juntos. À meia-noite, eles desejarão a todos um feliz 1985.

Anúncios

10 lugares mais misteriosos do mundo

Muitos acreditam que coisas sobrenaturais têm acontecido em várias partes do mundo há séculos. Esses fenômenos inexplicáveis parecem não ter preferência por algum tipo de local geográfico ou construção. Eles já se manifestaram em casas habitadas por gente comum, em regiões geográficas com belas paisagens, em castelos de príncipes ou até mesmo em galpões militares que supostamente esconderiam segredos de outro planeta.

10 lugares misteriosos
© iStockphoto.com / Rest
Stonehenge, no sul da Inglaterra,
é um dos lugares mais misteriosos deste mundo

A história da civilização é repleta de lugares naturais ou construídos pelo homem nos quais muita gente acredita que coisas estranhas acontecem. Coisas como manifestações demoníacas, contatos com extraterrestres ou até mesmo aparições de monstros pré-históricos. Apesar das evidências e de pesquisas científicas já terem desmistificados todos eles, há pessoas que creem que eventos muito estranhos ainda ocorrem nesses locais.

Lost
©2008 ABC, Inc.
A ilha de Lost é “hors concours” entre os lugares mais misteriosos

Por conta disso resolvemos dar uma pesquisada para identificar quais são os lugares mais misteriosos sobre a face da Terra. Claro que excluímos dessa pesquisa a ilha de Lost, afinal apesar de ser o lugar mais misterioso de todos não temos certeza se ele é realmente deste mundo.

Confira  quais são os dez lugares mais misteriosos do nosso planeta:

10. Triângulo das Bermudas

Desde meados do século 19 uma área no Oceano Atlântico em forma de triângulo, com seus vértices na Flórida (EUA), em Porto Rico e na ilhas Bermudas, é considerada o local do misterioso desaparecimento de 50 navios e 20 aviões. As ocorrências naturais (ou sobrenaturais) atribuídas à região levaram os mais crentes a denominarem o lugar de “Triângulo do Diabo”.
triângulo das bermudas
ComoTudoFunciona
Embarcações totalmente abandonadas, sem sinal dos corpos de seus ocupantes, e navios e aviões que sumiram sem deixar rastros são as principais evidências que sustentam as teorias sobrenaturais sobre o que acontece por lá. Na verdade, características geofísicas da região e fatores climáticos são provavelmente as principais causas dos desaparecimentos. Além disso, há a possibilidade da corrente marítima, muito rápida e turbulenta, e falhas na correção da navegação levarem as embarcações a se perderem e envolverem-se em catástrofes.

9. Castelo de Bran

Os vampiros não nasceram lá, mas o mais famoso de todos eles sim. Imortalizado no romance de Bram Stokler, Drácula teria sido inspirado em Vlad “Dracul” Tepes, príncipe e líder guerreiro que no século 15 lutou pela ordem dos Cavaleiros do Dragão ao lado dos cristão e contra os turcos. Entre as inúmeras barbaridades que teria cometido estariam empalar seus inimigos e beber o sangue deles. O castelo no qual morou fica na Transilvânia, região atualmente localizada na Romênia.

10 lugares misteriosos
© iStockphoto.com /Nessa
Construído há cerca de dois mil anos, o Castelo de Bran é cercado de mistérios sobre a existência de passagens secretas e de acontecimentos sobrenaturais. Apesar da lenda de que Vlad tenha se transformado num vampiro, o que mais assusta no Castelo de Bran são as memórias das atrocidades cometidas por ele enquanto ainda era um ser humano.

8. O Templo

10 lugares misteriosos
© iStockphoto.com /Robvander Werf
O Templo é uma igreja construída em 1185, em Londres, pelos Cavaleiros Templários. Ela era utilizada por eles como seu quartel general e também para suas cerimônias secretas de iniciação. Com o fim dos Templários no século 14, a igreja passou a ser controlada pelos Cavaleiros de Malta até que no século 17 o rei James I assumiu a propriedade. A igreja tornou-se popular com o sucesso do livro “O Código da Vinci” que a cita como um dos locais que guardariam segredos referentes ao Santo Graal, ou à linhagem sagrada de Jesus, segundo a trama do romance. Durante o esplendor dos Templários nos séculos 12 e 13 várias figuras importantes lá foram enterradas e é possível ver suas monumentais efígies de mármore uma ao lado da outra no chão da igreja. O Templo foi construído por Heraclius, Patriarca de Jerusalém, em honra da abençoada Maria. Acredita-se que o local tenha guardado vários objetos sagrados vindos da Terra Santa além de ter abrigado várias das reuniões secretas e misteriosas dos Cavaleiros Templários.

7. Tumba de Tutancâmon

10 lugares misteriosos
© istockphoto.com / JoseISoto

Ele foi faraó do antigo Egito, tendo reinado entre os anos 1333 e 1323 antes de Cristo. Reinou e morreu jovem com apenas 19 anos de idade. Assim como outros faraós, Tutancâmon teria uma tumba digna para desfrutar da vida após a morte, mas devido a sua inesperada partida deste mundo ele acabou enterrado em uma pequena tumba adaptada localizada no Vale dos Reis. Esquecida e longe das principais, que acabaram vítimas de saqueadores, a tumba de Tutancâmon só foi descoberta em 1922. Ela estava inteiramente preservada e com todas as relíquias lá deixadas junto com o sarcófago do faraó. Os tesouros de Tutancâmon estão atualmente no Museu Egípcio, no Cairo.

Mais famosa do que o seu ocupante a tumba ganhou notoriedade não apenas por ter sido uma das únicas a ser encontrada praticamente intacta, mas também graças à “maldição da múmia” que ela guardaria.

10 lugares misteriosos
© istockphoto.com /Holgs
Vale dos Reis, no Egito, onde foi encontrada a Tumba de Tutancâmon
As mortes do arqueólogo Howard Carter, descobridor da tumba, em circunstâncias misteriosas, e do nobre inglês patrocinador da expedição e de alguns de seus amigos e parentes próximos, logo após a descoberta, alimentaram a lenda de que a tumba guardaria uma “maldição da múmia” que atingiria a todos os que a profanassem.

6. Ilha de Páscoa

Seria ela parte do continente perdido de Atlântida? Ou obra de “deuses astronautas”? Muitas teorias tentam explicar as gigantescas estátuas da Ilha de Páscoa, localizada no sul do Oceano Pacífico, na altura do Chile. As estátuas feitas em rochas vulcânicas receberam o nome de moais. Quase nove centenas delas, com altura de até 22 metros e pesando 90 toneladas, espalharam-se pelo território tornando Páscoa a ilha mais misteriosa do planeta.

10 lugares misteriosos
Reprodução
Os moais eram provavelmente dedicados ao culto aos mortos e teorias místicas explicam que eles foram construídos com a ajuda da Mana, energia oculta que anima as coisas e as pessoas. O que mais impressiona nas estátuas, além de entender como elas foram construídas, é o fato de não representarem deuses ou entidades divinas e sim os habitantes da ilha.

5. Ruínas maias

Uma das mais antigas civilizações do planeta, nascida cerca de três mil anos antes de Cristo, dotada de avançados conhecimentos em arquitetura, astronomia e agricultura e que tinha uma religião que exigia a prática de sacrifícios humanos, o Império Maia ocupou o que hoje é o sul do México, a Guatemala, o norte de Belize e o oeste de Honduras.

10 lugares misteriosos
© iStockphoto.com /Curtis Kautzer
Suas pirâmides e templos religiosos e sua capacidade como guerreiros deixaram os colonizadores espanhóis assombrados no século 16. Naquele momento a civilização maia já vivia seu declínio e, mesmo assim, ela resistiu durante vinte anos aos ataques espanhóis. Uma das mais misteriosas ruínas maias encontra-se em Chichen Itza (México) onde está o poço sagrado usado para rituais que incluíam sacrifícios humanos. Outro mistério que assombra as ruínas maias é entender o que levou esse povo a abandonar suas cidades vários séculos antes dos espanhóis chegarem.

4. Stonehenge

Portal para um outro universo, santuário destinado a curas, computador pré-histórico para previsões astronômicas, monumento aos mortos e à vida eterna. Após várias teorias, místicas ou científicas, Stonehenge continua um mistério. O gigantesco monumento circular formado por pedras moldadas pelo homem, em seis etapas na transição da Era da Pedra para a Era do Bronze (entre os anos 3.000 e 1.500 a.C), continua a intrigar arqueologistas e a instigar a imaginação de muita gente. Localizado no sul da Inglaterra, Stonehenge apresenta círculos concêntricos de pedras com até cinco metros de altura e pesando cerca de 50 toneladas.

10 lugares misteriosos
© iStockphoto.com /fotoVoyager
As pesquisas arqueológicas mais recentes indicam que provavelmente Stonehenge tenha sido um observatório astronômico construído por uma antiga civilização com a finalidade de observar os solstícios e equinócios com precisão. Somente muitos séculos depois ele acabou virando um santuário religioso ao ser encontrado pelos druidas. O advento do misticismo da Nova Era, no entanto, fez de Stonehenge o mais importante centro de peregrinação para os cultos neo-pagãos, apesar do engano histórico que é identificá-lo como uma criação dos druidas originais.

3. Amityville

Ela é provavelmente a casa assombrada mais famosa do mundo. Localizada no número 122 da Ocean Avenue, em Amityville, estado de Nova York, a residência que pertenceu à família DeFeo tornou-se desde os anos 1970 um dos lugares mais misteriosos e amedrontadores da Terra. A casa foi o palco, em 13 de novembro de 1974, dos assassinatos cometidos por Robert DeFeo, que matou a tiros seis membros de sua família: pai, mãe e seus irmãos e irmãs menores. O motivo do bárbaro crime, segundo o assassino, seriam as “vozes” que ele ouvira naquela noite ordenando que ele cometesse a chacina.

Amityville
Foto cedida Ric Osuna, Os Assassinatos de Amityville
Fachada da casa em Amityville, palco da chacina em 1974
Um ano depois, a casa em Amityville voltou a ser ocupada, desta vez pela família Lutz, mas eles não permaneceram muito tempo por lá. Após um padre tentar abençoar a casa, os Lutz a deixaram alegando que eventos paranormais que lá aconteciam os atormentavam com aparições, objetos que se moviam e outras coisas sobrenaturais que estariam alterando suas personalidades. Antes que o pior acontecesse, eles resolveram partir. Isso e todo o resto que tinha acontecido alimentaram as lendas de que a casa em Amityville teria sido construída num local habitado por um bruxo que escapou de Salem e que construíra ali um  portal para o Inferno ou de que ela ficava onde existia um antigo cemitério. No fim, o que de real existe até agora é que, além dos bárbaros crimes cometido por Robert DeFeo, Amityville rendeu o best-seller “Horror em Amityville”, feito em parceria pelos Lutz com o escritor Jay Anson, que mais tarde virou uma série de filmes para o cinema. As “vozes” ouvidas por DeFeo foram provavelmente uma tentativa de alegar insanidade mental antes do julgamento, mas a crença de que algo de muito ruim assombra aquela casa em Amityville ainda alimenta a imaginação de muitas pessoas.

2. Loch Ness

10 lugares misteriosos
© iStockphoto.com /Robin29091965
Maior lago de água doce no Reino Unido, ele é grande o suficiente para abrigar um monstro subaquático, do tipo pré-histórico, e está localizado numa região cheia de lugares, eventos e personagens místicos. O lago Ness fica na Escócia, mais precisamente numa área conhecida como Highlands. Ao longo dos séculos, surgiram relatos sobre a existência de um gigantesco monstro ou serpente que habitaria o lago. Esse tipo de narrativa era comum na Grã-Bretanha e na Escandinávia, reveladora do medo dos habitantes e visitantes ao depararem-se com lagos profundos e extensos como o Ness. Muito provavelmente a lenda tem suas origens na função prática de manter as crianças longe das águas para evitar os afogamentos. Mas com o avanço do cristianismo em terras britânicas na Idade Média, a lenda do monstro misturou-se com relatos de milagres cristãos, como o de São Columba, e ganhou força. Mais recentemente, um dos fatos que impulsionou a crença de que o lago Ness abrigaria um monstro de verdade foi uma fotografia tirada em 1934 por um respeitado médico e ex-militar, o coronel Robert Kenneth Wilson, e que mostraria o pescoço e a cabeça da criatura emergindo do lago. Décadas mais tarde, no entanto, um dos participantes da farsa confessou em seu leito de morte a construção de um monstro falso que embarcado em um submarino de brinquedo virou a foto que espantou o mundo. Nesse meio tempo, sonares, submarinos, mergulhadores e milhares de horas de observação de pesquisadores e curiosos tentaram em vão encontrar o misterioso monstro do lago Ness.

1. Área 51

Uma instalação militar por si só já é um lugar que tende a ser bastante secreto. Agora imagine uma dessas destinada aos experimentos tecnológicos mais avançados do mais poderoso exército do planeta. Ela é puro mistério. A Área 51, nome popular para o que alguns chamam de Comissão de Energia Atômica e outros de Centro de Testes de Vôo da Força Aérea, está localizada próxima a Las Vegas no deserto de Nevada (EUA), ao lado de um local que foi utilizado para testes de bombas nucleares. Esta instalação militar, que é misteriosa até em relação ao seu nome, tem sido uma fonte inesgotável de lendas, mitos e teorias da conspiração.

Area 51
2007 Google Earth™ mapping service/DigitalGlobe
Dos clássicos da ficção científica aos mais populares seriados da TV, como “Arquivo X”, várias obras de ficção inspiraram-se nela para seus enredos. Cercada de medidas de segurança e sigilo absoluto, especula-se que lá se desenvolvam testes de equipamentos da Força Aérea dos Estados Unidos, como os famosos aviões “invisíveis”. Mas, os mais céticos em relação a isso pensam que lá ocorrem experimentos com tecnologias alienígenas e até mesmo o estudo de extraterrestres que apareceram por aqui, como no famigerado episódio de Roswell, quando uma aeronave alienígena teria caído naquela cidade do Novo México e os  fragmentos e corpos encontrados teriam sido enviados para a Área 51. Sem dúvida, essa mistura de segredos militares, alienígenas e conspirações governamentais faz da Área 51 o lugar mais misterioso atualmente no planeta. Neste caso, poderíamos dizer que, de forma diferente do que Fox Mulder acredita, “a verdade está lá dentro”.

Saiba dos 5 mitos sobre a Microsoft

Há uma imagem icônica de Bill Gates que deve ajudar a explicar nossa fascinação coletiva por esse empresário lendário e sua mais famosa criação, a Microsoft Corp.. É uma foto de 1977, tirada depois que Gates foi preso em Albuquerque, no Novo México, por violar leis de trânsito [fonte: The Smoking Gun].

Aos 19 anos, Bill Gates é preso por dirigir em alta velocidade
Arquivos da polícia de Albuquerque, Novo México
Aos 19 anos, Bill Gates é preso por dirigir em alta velocidade

A foto mostra um CDF de 19 anos sem queixo, com óculos de grau de lentes bronze e um indefectível sorriso. Como – e isso cabe a nós imaginar – esse colegial com cara de bobo e habilidades como motorista questionáveis (e usando uma ainda mais questionável camiseta florida) acabou se tornando o homem mais rico do mundo?

Se você está procurando online pelas respostas a essas perguntas, encontrará um monte de meias-verdades e informações incorretas. Não ajuda muito que a Microsoft tenha feito mais que sua cota justa de inimigos ao longo dos anos. E realmente não ajuda que a maioria desses inimigos tenha blogs que possibilitam que eles compartilhem essa inimizade com o mundo. Eles acusaram a companhia e seu ex-CEO de tudo – de manter um monopólio propositalmente até roubar algumas das maiores inovações tecnológicas e até de ser a encarnação do Mal.

Os mitos que cercam a Microsoft e seu fundador estão fortemente ligados à criação do mito do computador pessoal em si. Para começar nossa lista dos Top 5 mitos sobre a Microsoft, vamos explorar a concepção errada sobre a origem do “windows”.

1 – A Microsoft inventou o Windows

A Microsoft inventou o sistema de janelas? Não, nem a Apple. Quem inventou a interface gráfica que viraria sinônimo do sistema operacional mais usado no mundo foi a Xerox
Microsoft / Divulgação
A Microsoft inventou o sistema de janelas? Não, nem a Apple. Quem inventou a interface gráfica que viraria sinônimo do sistema operacional mais usado no mundo foi a Xerox

Em 1968, quando um Bill Gates de 13 anos de idade ainda dava os primeiros passos programando Basic, um engenheiro chamado Douglas Englebart, do Instituto de Pesquisa de Stanford, apresentou ao mundo o mouse [fonte: Reimer]. Para os usuários do computador moderno, o mouse nada mais é do que uma necessidade tecnológica mundana: De que outra forma você poderia clicar em ícones, navegar através de menus e mover cursosres? Mas os usuários de computadores de 1968 acharam o mouse revolucionário justamente porque ninguém havia ouvido falar dessas coisas até então.

Englebart recebeu o rédito pela invenção da interface gráfica do usuário, ou GUI. No começo dos anos 70, uma equipe de pesquisadores do Centro de Pesquisas Palo Alto, da Xerox (Parc), expandiu o conceito de Englebart e construiu o Xerox Alto, o primeiro computador pessoal que vinha com a agora padrão “WIMP” GUI: janelas (windows), ícones, menus e dispositivo de ponteiro (mouse) [fonte: Webopedia].

O Xerox Alto rodava um sistema operacional/ambiente de desenvolvimento chamado SmallTalk, que fora criado no laboratório Xerox pelos pesquisadores do Parc. Em 1979, Steve Jobs, então com 24 anos de idade, da recém-criada Apple Computer, Inc., pagou US$ 1 milhão em opções de ação da Apple por um tour detalhado às dependências do Parc Xerox. Embasbacado com a interface SmallTalk, Jobs pediu a documentação técnica do produto, que a Xerox inocentemente deu a ele [nota do tradutor: essa cena pode ser vista no filme “Piratas do Vale do Silício”].

Com as especificações da SmallTalk em mãos, a Apple lançou em 1983 o Lisa, primeiro computador comercial a vir com a interface de janelas, ou windows. Jobs usaria uma interface similiar para os modelos mais populares do Macintosh. Quando Bill Gates, que escrevia software para os Macintosh, lançou o Windows 2.0. em 1987, a Apple processou a Microsoft por roubar descaradamente a interface gráfica do Mac – algo que a Apple havia roubado muito antes da Xerox.

A Apple acabou perdendo o caso, e a dominância subsequente da Microsoft no mercado de PCs transformou as polêmicas janelas em sinônimo do Windows.

2 – A Microsoft não está nem aí para segurança

Depois de cinco anos de desenvolvimento, a Microsoft lança o Windows Vista com a maior festa de sua história
Microsoft / Divulgação
Depois de cinco anos de desenvolvimento, a Microsoft lança o Windows Vista

A Microsoft é o menino do dique dos fabricantes de software, constantemente tapando buracos em seus sistemas operacionais e softwares aplicativos. Essas vulnerabilidades de backdoor permitem que hackers maliciosos tenham acesso a computadores desprotegidos, transformando-os em computadores-zumbis que espalham virus e worms para mais computadores.

Você dificilmente lê manchetes como “Apple avisa usuários sobre séria falha de segurança”, ou “Red Hat corre para lançar correção para frustrar hackers”. Isso porque poucos programadores se incomodariam em escrever códigos maliciosos e vírus de computador maldosos para Mac OS X ou para Linux. A razão é bem simples: se você fosse um hacker e seu objetivo traiçoeiro fosse envenenar o máximo de máquinas possível, você apontaria seus esforços para o sistema operacional usado por mais de 90% dos usuários mundiais de computador.

Apesar da crítica raivosa da fraca segurança do Windows XP, é errado dizer que a Microsoft não está nem aí para a segurança. A Microsoft emprega algumas das mentes mais brilhantes no campo da cibersegurança, incluindo o chefe de segurança Michael Howard e o especialista em segurança para Linux Crispin Cowan. Nos últimos anos, eles lançaram várias iniciativas de segurança de longo prazo, incluindo a Trustworthy Computing, a End to End Trust e mais recentemente a Microsoft Security Essentials. Eles também fizeram o Windows Vista ser substancialmente mais seguro que o XP [fonte: Jones].

A questão real, de acordo com o veterano jornalista de tecnologia Rob Enderle, é se alguém na companhia pode afastar com sucesso a barragem quase constante de ataques que assolam os produtos da Microsoft. Para piorar as coisas, ele diz, o ato de vangloriar-se dos recursos de segurança parece atrair hackers ávidos por um desafio. Como um exemplo, o jornalista cita um anúncio da Oracle que chamava sua última criação de “à prova de balas”. Ela foi atacada com sucesso no dia seguinte [fonte: Enderle].

3 – A Microsoft é um monópolio natural

Quem melhor que Gates para testemunhar sobre competitividade?
Microsoft / Divulgação
Quem melhor que Gates para testemunhar sobre competitividade?

Alguns críticos do caso antitruste crônico do governo dos EUA contra a Microsoft defendiam a potência do software como um monopólio natural legal porque ela ganhou sua dominância sendo mais habilidosa que seus concorrentes de livre mercado.

A definição real de um monopólio natural é na verdade bem diferente do seu significado convencional. No linguajar econômico, um monopólio natural é uma empresa a quem se permite monopolizar uma indústria, por ser de melhor interesse para o Estado e para o consumidor.

Empresas concessionárias são clássicos exemplos de monopólios naturais. Na maioria das cidades e áreas urbanas, você não tem como escolher qual companhia elétrica usar. Isso porque há uma enorme barreira de entrada para uma companhia elétrica concorrente começar. Você teria de construir usinas de energia e passar milhares de quilômetros de cabos para criar uma infraestrutura funcional. É mais barato para o consumidor – e mais eficiente para o Estado – ter uma companhia privada regulamentada comandando o show.

Na superfície, a Microsoft se parece com um monopólio natural da indústria de computadores. Já que a companhia detém 90% do mercado global de sistema operacional, a Microsoft goza de enorme economia de escala. Por exemplo, desenvolvedores menores de software jamais poderiam gastar tanto quanto a Microsoft no desenvolvimento e marketing de um produto. Eles nunca teriam o dinheiro de volta sem ter de cobrar muito mais que a Microsoft cobraria pelos mesmos produtos.

A grande diferença é que a Microsoft usou seu “extraordinário poder de mercado e imensos lucros”, nas palavras do juiz distrital Thomas Penfield Jackson, não apenas para erguer barreiras mais altas para a entrada da concorrência, como ameaçou  e intimidou qualquer um que ousasse bater na porta. E não há nada natural sobre isso.

4 – A Microsoft não é inovadora

Gates e Paul Allen comemoram ao lado de computadores pessoais o contrato lucrativo com a gigante IBM
Microsoft / Divulgação
Gates e Paul Allen comemoram ao lado de computadores pessoais o contrato lucrativo para integrar o MS-DOS aos computadores pessoais da IBM

A Microsoft tem uma reputação bem merecida nos círculos do software por ser tecnologicamente derivada. Em outras palavras, a Microsoft emprestou ou comprou cada boa ideia que já teve.

Essa teoria não é infundada. Por exemplo, Bill Gates e amigos não escreveram o código do MS-DOS. Eles compraram algo chamado QDOS (sigla em inglês para Sistema Operacional Rápido e Sujo) por US$ 50 mil, ajustaram-no e licenciaram-no para a IBM com grande lucro [fonte: Moscovitz]. Eles também não escreveram o código do Internet Explorer. A Microsoft licenciou o código fonte do navegador da Spyglass Inc., que fez o navegador Mosaic, e usou o mesmo código fonte para três ou quatro versões do IE [fonte: Sink].

Defensores da Microsoft sabem que a companhia não é assim uma grande inovadora tecnológica – Gates não se deu conta do potencial da Internet até 1995 -, mas vão dizer que a companhia tem algumas das ideias de negócios mais vanguardistas na área [fonte: Colony].

Pense nisso. Antes de a Microsoft aparecer, ninguém tinha tido a ideia de vender software e hardware separadamente [fonte: Rapoza]. A IBM licenciou o MS-DOS da Microsoft porque queria se concentrar em hardware. Gates, Steve Ballmer e outros execuivos da Microsoft anteviram o potencial lucrativo no licenciamento se seu sistema operacional para dúzias de diferentes fabricantes de PCs.

Quando o Instituto de Negócios da Harvard estudou os segredos do sucesso da Microsoft, eles apontaram a abordagem inovadora da companhia à sua propriedade intelectual [fonte: Silverthorne]. A Microsoft criou uma biblioteca colossal de componentes de código-fonte proprietário que funcionam através da plataforma Windows. Se um desenvolvedor prova sua lealdade à Microsoft, ele ganha acesso àquela biblioteca de código – e centenas de milhões de consumidores potenciais da Microsoft.

5 – Bill Gates é o Mal

Gates recebe o James C. Morgan Global Humanitarian Award por sua atuação como filantropo
Microsoft / Divulgação
Gates recebe o James C. Morgan o Global Humanitarian Award por sua atuação como filantropo

Arrogante. Ameaçador. Implacável. Teimoso. Todos esses são adjetivos que ex e atuais colegas da Microsoft – e concorrentes – usaram para descrever William Henry Gates III. Mas esses críticos o descreveria como o Mal? Nem em um milhão de anos.

Quando Gates anunciou que ele estava se desligando das operações diárias da Microsoft em julho de 2008, isso gerou uma enxurrada de artigos sobre seu legado. Alguns o comparavam a Henry Ford, outra pessoa que pegou uma tecnologia cara e refinada e desenvolveu uma forma engenhosa de vendê-la para as massas [fonte: Ferguson].

A missão de longo tempo da Microsoft foi ter “um PC em cada mesa de trabalho e em cada lar”. De fato, o Windows foi entregue em mais de 1,75 bilhões de PCs no mundo todo desde 1981 [fonte: Hamm].

Alguns jornalistas e especialistas escolheram comparar Gates a Ford, mas a comparação mais apropriada poderia ser com Andrew Carnegie, o barão do aço que se engajou em práticas de negócios implacáveis antes de dedicar seus últimos anos de vida à filantropia. Quando ele morreu, em 1919, ele tinha desistido de todas as suas riquezas adquiridas de forma ilícita e fundado museus, bibliotecas, parques e numerosas organizações de caridade.

Gates pode ser culpado de muitas táticas de negócios condenáveis, mas nunca mandou tropas mercenárias atacarem sua própria fábrica (como fez Carnegie). Como filantropo, ele deve ser o maior doador na história do mundo {fonte: Gralla]. A Fundação Bill e Melinda Gates já investiu dezenas de bilhões de dólares na erradicação da doença e pobreza em nações em desenvolvimento e com o tempo dará toda a fortuna de Gates. Quão nocivo e perverso isso pode ser?

Fonte: Howstuffworks